Questões

Total de Questões Encontradas: 09

A tecnologia RAID divide ou duplica a tarefa de um disco rígido por mais discos, de forma a melhorar o desempenho ou a criar redundância de dados, em caso de uma avaria na unidade. A seguir estão descritos dois níveis de RAID:

I. É uma boa opção se a segurança for mais importante do que a velocidade. Os discos devem ter a mesma capacidade. A capacidade de armazenamento é calculada através da multiplicação do número de unidades pela capacidade do disco dividido por 2.
II. É ideal para os usuários que necessitam o máximo de velocidade e capacidade. Todos os discos devem ter a mesma capacidade. A capacidade de armazenamento é calculada através da multiplicação do número de unidades pela capacidade do disco. Se um disco físico no conjunto falhar, os dados de todos os discos tornam-se inacessíveis.

Os níveis de RAID descritos em I e II são, respectivamente,
A
RAID 10 e RAID 5.
B
RAID 1 e RAID 3.
C
RAID 3 e RAID 5.
D
RAID 3 e RAID 0.
E
RAID 1 e RAID 0.
Embora a tecnologia sem fio tenha evoluído a ponto de ser rápida e segura o suficiente para ser implantada em uma empresa de médio porte, há diversos fatores a considerar e diversos padrões disponíveis para proteger uma rede sem fio. Dentre estes padrões, destacam-se os listados a seguir.

I é um padrão 802.1X que permite aos desenvolvedores passar dados de autenticação entre servidores RADIUS e pontos de acesso sem fio. II faz parte do padrão IEEE 802.11 e usa criptografia RC4 de 64 ou 128 bits. Foram encontradas falhas sérias neste padrão, que permitiam a decodificação passiva da chave RC4.  Em resposta às falhas encontradas, o III foi apresentado, como um subconjunto de especificações de segurança sem fio interoperável do padrão IEEE 802.11. Esse padrão fornece recursos de autenticação e usa TKIP para a criptografia de dados. O padrão IV , conhecido como IEEE 802.11i, foi criado pela Wi-Fi Alliance e inclui um novo mecanismo de criptografia avançada, que usa o protocolo CCMP (CounterMode/CBC-MAC), denominado AES (Advanced Encryption Standard).

As lacunas I, II, III e IV são corretas e respectivamente preenchidas por: 
A
WEP (Wired Equivalent Privacy);
EAP (Extensible Authentication Protocol);
WPA (Wi-Fi Protected Access);
WPA2
 
B
EAP (Extensible Authentication Protocol);  
WPA (Wi-Fi Protected Access);  
WEP (Wired Equivalent Privacy);  
WEP2.
 
C
WPA (Wi-Fi Protected Access);  
EAP (Extensible Authentication Protocol);  
WEP (Wired Equivalent Privacy);  
WEP2. 
 
D
WEP (Wired Equivalent Privacy);  
WPA (Wi-Fi Protected Access);  
EAP (Extensible Authentication Protocol);  
EAP2. 
 
E
EAP (Extensible Authentication Protocol);  
WEP (Wired Equivalent Privacy);  
WPA (Wi-Fi Protected Access);  
WPA2. 
 
Há diversas técnicas e práticas utilizadas para  monitoramento e análise de tráfego de dados nas redes. Considere:

I. É uma técnica que consiste em inspecionar os dados trafegados em redes de computadores, por meio do uso de programas específicos. Pode ser utilizada por administradores de redes, de forma legítima, para detectar problemas, analisar desempenho e monitorar atividades maliciosas ou por atacantes, de forma maliciosa, para capturar informações  como senhas, números de cartão de crédito e  conteúdo de arquivos confidenciais que estejam trafegando por meio de conexões inseguras, ou seja, sem criptografia.
II. Prática que pode ser utilizada por provedores de acesso à internet com o objetivo de limitar o tamanho da banda para os protocolos e programas que usam mais a rede, notadamente os de transferência de arquivos grandes, como P2P. Alguns provedores limitam, inclusive, a transmissão de arquivos via FTP. Esta prática é realizada para garantir que os usuários, que não utilizam esses protocolos de transferência ou não fazem downloads de grandes arquivos, possam ter acesso  a outros tipos de serviço sem enfrentar lentidão na rede, embora seja condenada por algumas instituições protetoras dos direitos do consumidor.

As descrições I e II referem-se, respectivamente, a
A
IDS e NAT.
B
traffic shaping e sniffer.
C
NAT e VoIP.
D
sniffing e traffic shaping.
E
IDS e Torrent.
Clientes e servidores OpenLDAP são capazes de efetuar autenticação via Simple Authentication and Security Layer − SASL. Dentre os vários padrões que podem ser utilizados com este método é possível destacar o
A
NSA-GSS.
B
PPOE-ISAM.
C
DIGEST-MD5.
D
NIST-CRAMv5.
E
KERBEROS-ASCIV.
É uma característica do protocolo IPv6:
A
endereço de 32 bits.
B
Multicast Listener Discovery − MLD.
C
suporte opcional de IPSec.
D
cabeçalho que inclui campos de opção.
E
Address Resolution Protocol − ARP que utiliza requisitos do tipo broadcast. 
O SNMP − Simple Network Management Protocol, desde sua concepção, possui como característica a separação entre as informações trocadas e o protocolo usado para transportar essas informações. Com essa característica, as operações do protocolo não precisam ser definidas de acordo com comandos específicos usados para recuperar informações ou alterar as configurações de um dispositivo. O SNMPv1 define cinco tipos de PDU − Protocol Data Units, sendo eles: GetRequest, GetNextRequest, GetResponse, SetRequest e
A
UpdateRequest.
B
ProcessRequest.
C
Reject.
D
Trap.
E
Raise.
A seleção de rotas se refere ao método utilizado para selecionar um Label Switched Path − LSP para uma Forwarding Equivalence Class − FEC em particular. A arquitetura do protocolo MPLS provê suporte para duas opções de seleção de rotas: hop by hop routing e
A
path analysis routing.
B
data exchange routing.
C
explicit routing.
D
least effort routing.
E
dynamic path routing.
O serviço DNS − Domain Name System possui tipos de campos utilizados em registros de recursos. Considere os seguintes tipos de campos:

I. HINFO contém informações do host.
II. MINFO contém informações de memória utilizada pelos serviços.
III. TXT contém informações textuais.

Está correto o que se afirma APENAS em
A
II
B
I
C
I e II
D
II e III
E
I e III
Um domínio EAPS − Ethernet Automatic Protection Switching existe em um único anel Ethernet. Qualquer VLAN − Virtual Local Area Network Ethernet definida para ser protegida, é configurada em todas as portas do anel para o referido domínio EAPS. Cada domínio EAPS possui um único I designado. Todos os outros nós deste anel são referidos como II. As lacunas I e II são correta e respectivamente preenchidas com:
A
transit node − master nodes
B
master node − transit nodes
C
Ethernet node − communication nodes
D
LAN node − MAN nodes
E
WAN node − LAN nodes
Página 1 de 1