Questões

Total de Questões Encontradas: 10

Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
Os esquemas seguintes analisam o processo de formação das palavras negritadas e sublinhadas, todas extraídas do texto de referência. Marque a alternativa que apresenta o esquema com análise INCORRETA:
A
educação → educacional: derivação por sufixo formador de adjetivo
B
ensinar → ensino: redução por abreviação vocabular, formando substantivo a partir de verbo.
C
saber (verbo) → saber (substantivo): derivação imprópria a partir da forma nominal infinitivo.
D
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo → Ifes: redução de substantivo próprio por sigla.
E
tudo → sobretudo: derivação por prefixo que indica ideia de “acima de”.
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
Acerca das regras de acentuação gráfica aplicadas a palavras do texto de referência, avalie cada uma das cinco sentenças seguintes como (V) VERDADEIRA ou (F) FALSA.
I – ( ) No terceiro e no quarto parágrafos, faz-se uso do vocábulo “têm”, que se refere nos dois casos a sujeitos cujos núcleos estão no plural. Flexionando os respectivos núcleos para o singular, o acento diferencial circunflexo deve mudar para agudo, grafando-se “tém”.
II – ( ) É aplicável a mesma justificativa para se acentuar as palavras “raízes”, “artífices” e “país”.
III – ( ) As palavras “áreas”, “ciência” e “missão” recebem acento gráfico por serem paroxítonas terminadas em ditongo crescente.
IV – ( ) As palavras “histórico”, “emblemático”, “agrotécnicas” e “tecnológica” recebem acento gráfico por serem proparoxítonas.
V – ( ) Substituir “sairá” por “saíra” implicaria em alterações significativas na compreensão do enunciado, dentre elas a mudança do tempo verbal do futuro do presente para o pretérito maisque-perfeito, ambos do modo indicativo.

Na ordem respectiva dos itens I, II, III, IV e V, está CORRETA a sequência:
A
F – F – V – V – V
B
V – F – V – F – F. 
C
F – V – V – V – F. 
D
V – V – F – V – V.
E
F – F – F – V – V.
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
Embora predomine a função referencial, o autor faz uso recorrente de recursos estéticos para reforçar a expressão que tem a Instituição no cenário em questão. O excerto, dentre os indicados a seguir, que apresenta metáfora como recurso estético é:
A
“[...] os Institutos Federais consistem em estabelecimentos especializados na oferta de ensino profissionalizante e tecnológico nas diferentes modalidades de ensino, desde a educação de jovens e adultos até o doutorado.” (linhas 33-35).
B
“Cada um deles [profissionais capixabas que fizeram algum curso no Ifes] é como se fosse uma pequena tocha de luz.” (linhas 14-15). 
C
“No estado do Espírito Santo, é raro estar numa roda de conversa em que pessoas não informem ter feito algum curso na instituição.” (linhas 8-9).
D
“E é exatamente em um importante momento histórico para o estado do Espírito Santo que a educação profissional lança suas raízes cada vez mais profundas em solo capixaba.” (linhas 2-4).
E
“O Ifes é a instituição educacional de maior potencial no estado para atender às demandas do mercado de trabalho.” (linhas 1-2).
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
No que se refere ao uso de sinais de pontuação no texto de referência, é INCORRETO o que se comenta em:
A
No terceiro, no quarto e no sexto parágrafos, a primeira vírgula que se aplica possui a função de isolar adjunto adverbial antecipado.
B
No terceiro parágrafo, nenhuma das vírgulas serve para separar elementos que exercem a mesma função sintática no interior da oração.
C
No segundo e no quarto parágrafos, os parênteses e os travessões desempenham função análoga: isolar, num contexto, palavras ou frases.
D
No quarto parágrafo, as aspas são usadas para duas funções: acentuar o valor significativo de uma expressão e para distinguir uma citação do resto do contexto.
E
Na citação da declaração de Nilo Peçanha, a vírgula separa orações coordenadas assindéticas ao mesmo tempo que marca o limite entre duas partes da informação que estão em relação de contraste.
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
Em relação às classes gramaticais de palavras extraídas do texto de referência, é INCORRETO afirmar que: 
A
no terceiro parágrafo, o vocábulo “como” é aplicado como preposição sempre que associado ao adjetivo “familiar”, tendo significado relacionado à ideia de “com caráter de”, “na posição de” e outras de mesmo sentido.
B
no terceiro parágrafo, o vocábulo “segundo” ocorre duas vezes: na primeira, é uma preposição com ideia de conformidade; na segunda, um numeral ordinal em função adjetiva.
C
no sexto parágrafo, a expressão “por conta de” se trata de uma locução prepositiva com valor de causalidade que poderia ser substituída por “devido a”, “por causa de” e outras de mesmo sentido.
D
no sétimo parágrafo, o vocábulo “quando” se classifica como uma preposição com valor semântico de temporalidade que poderia ser substituída por “na ocasião em que”, “depois que” e outras de mesmo sentido.
E
no último parágrafo, a conjunção coordenativa “mas” e a subordinativa “se”, em sequência, introduzem, respectivamente, ideia de ressalva em contraste ao que se declarou anteriormente e de condicionalidade projetada ao que se expressa na última oração do texto.
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
No excerto a seguir, o verbo “lembrar” aparece com o sentido de “trazer à lembrança” e “recordar-se”, acepção inclusive tratada por Cunha & Cintra (2017): “[...] lembramos muito mais de nomes do que de rostos.” (linha 5). De acordo com a norma-padrão, o excerto apresenta um desvio de:
A
concordância nominal.
B
concordância verbal.
C
ortografia oficial.
D
regência nominal.
E
regência verbal.
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
A transitividade das ocorrências do verbo “reconheceram” (linhas 25 e 26) no sétimo parágrafo do texto de referência NÃO coincide com a do indicado em:
A
“comprovam” (linha 2).
B
“vem” (linha 3).
C
“ fazem” (linha 8).
D
“exige” (linha 10).
E
“repetiram” (linha 20).
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
Classifica-se sintaticamente como uma oração subordinada substantiva objetiva direta:
A
“[...] que somos terríveis para lembrar nomes.” (linha 1).
B
“[...] do que em lembrar.” (linha 7).
C
“[...] por que é fácil esquecer o nome daquela prima de segundo grau.” (linha 11).
D
“[...] que exige mais da sua memória [...]” (linha 13).
E
“[...] já que os rostos reais aparecem de formas relativamente diferentes [...]” (linha 23).
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
Em relação ao uso do acento indicativo de crase no excerto “[...] o reconhecimento referese à nossa simples capacidade de tratar um evento ou informação como sendo familiar [...]” (linhas 9-10), assinale a alternativa INCORRETA:
A
O uso do acento grave, em parte, justifica-se devido à regência do verbo “referir-se”, que exige como complemento um objeto indireto regido pela preposição “a”.
B
Deveria ser retirado o acento grave se o vocábulo “capacidade” fosse substituído pela palavra “talento”.
C
O acento grave poderia ser retirado sem prejuízo para a correção gramatical do texto, visto que seu emprego é facultativo para o contexto em questão.
D
Retirando-se o acento indicativo da crase desse enunciado, o “a” deve ser classificado morfologicamente como artigo.
E
Pluralizando-se o vocábulo “capacidade”, é necessário que se retire o acento grave ou que se pluralize o termo (“às”) para a manutenção da correção gramatical.
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
 A partir da leitura do texto sob análise, NÃO é possível afirmar que:
A
os resultados da pesquisa comprovaram que os seres humanos são melhores em reconhecer que em lembrar
B
o reconhecimento de um rosto é uma tarefa mais fácil para a memória humana que a recordação de um nome.
C
segundo a pesquisa, a memória humana tem mais dificuldade em reconhecer um rosto porque isso demanda a recuperação de detalhes mais específicos.
D
se colocados no mesmo nível de memória, é comprovável que um ser humano reconhece mais os nomes que os rostos das pessoas.
E
o teste realizado confirmou que a impressão de que o ser humano é melhor em reconhecer rostos que nomes é um mito.
Página 1 de 1