Questões

Total de Questões Encontradas: 15

Texto Associado Texto Associado
1 Desde 1990, no Brasil, tem havido uma melhora
sistemática do coeficiente de Gini, índice comumente utilizado
para medir a desigualdade de distribuição de renda: melhorou
4 dos 0,603 de 1993 para os 0,501 de 2013.
Tendo por base os valores de 1998, ano da
privatização dos serviços de telecomunicações do Brasil, o PIB
7 per capita do brasileiro aumentou apenas 35,0% no período
findo em 2014, ao passo que, no mesmo período, a densidade
de telefones fixos aumentou 84,5% e a de telefones celulares
10 aumentou 3.114%.
A penetração dos serviços de telefonia — fixa ou
móvel — só não foi maior devido ao irrisório crescimento da
13 renda per capita no período, agravado pela carga tributária
incidente sobre serviços de telecomunicações, essenciais para
o desenvolvimento sustentável com inclusão social.
16 No cenário mundial, o Brasil passou do 54.º lugar, em
2002, para o 65.º lugar, em 2013, segundo o índice de
desenvolvimento de tecnologias de informação e comunicação
19 (TIC), da União Internacional de Telecomunicações, indicando
que o país está defasado no aproveitamento dos benefícios que
as TIC propiciam para o desenvolvimento sustentável com
22 inclusão social e com inserção no mundo globalizado.
Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de
Domicílios (PNAD) 2013, 92,5% dos domicílios tinham acesso
25 aos serviços telefônicos — fixos ou móveis. Em 1998, apenas
32% dos domicílios tinham acesso a esses serviços, o que
indica um volumoso aumento no período mencionado.
28 No final do primeiro semestre de 2015, 41.310
localidades eram servidas pela telefonia fixa, em função da
realização das metas do Plano Geral de Metas de
31 Universalização; no final do primeiro semestre do ano
anterior, eram 40.907 localidades e, em 1992, eram 16.950.
O ambiente socioeconômico do setor de telecomunicações. In: O desempenho
do setor de telecomunicações no Brasil. Séries temporais 1S15.
Elaborado pela Telebrasil em parceria com o Teleco. Rio de Janeiro,
agosto de 2015, p. 7-9. Internet: <www.telebrasil.org.br > (com adaptações).
Com relação às estruturas linguísticas do texto O ambiente socioeconômico do setor de telecomunicações, julgue os seguintes itens.
No final do primeiro parágrafo, caso se substituíssem o sinal de dois-pontos por vírgula e a palavra “melhorou” por que passou, a correção gramatical do período seria mantida.
C
Certo
E
Errado
Texto Associado Texto Associado
1 Desde 1990, no Brasil, tem havido uma melhora
sistemática do coeficiente de Gini, índice comumente utilizado
para medir a desigualdade de distribuição de renda: melhorou
4 dos 0,603 de 1993 para os 0,501 de 2013.
Tendo por base os valores de 1998, ano da
privatização dos serviços de telecomunicações do Brasil, o PIB
7 per capita do brasileiro aumentou apenas 35,0% no período
findo em 2014, ao passo que, no mesmo período, a densidade
de telefones fixos aumentou 84,5% e a de telefones celulares
10 aumentou 3.114%.
A penetração dos serviços de telefonia — fixa ou
móvel — só não foi maior devido ao irrisório crescimento da
13 renda per capita no período, agravado pela carga tributária
incidente sobre serviços de telecomunicações, essenciais para
o desenvolvimento sustentável com inclusão social.
16 No cenário mundial, o Brasil passou do 54.º lugar, em
2002, para o 65.º lugar, em 2013, segundo o índice de
desenvolvimento de tecnologias de informação e comunicação
19 (TIC), da União Internacional de Telecomunicações, indicando
que o país está defasado no aproveitamento dos benefícios que
as TIC propiciam para o desenvolvimento sustentável com
22 inclusão social e com inserção no mundo globalizado.
Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de
Domicílios (PNAD) 2013, 92,5% dos domicílios tinham acesso
25 aos serviços telefônicos — fixos ou móveis. Em 1998, apenas
32% dos domicílios tinham acesso a esses serviços, o que
indica um volumoso aumento no período mencionado.
28 No final do primeiro semestre de 2015, 41.310
localidades eram servidas pela telefonia fixa, em função da
realização das metas do Plano Geral de Metas de
31 Universalização; no final do primeiro semestre do ano
anterior, eram 40.907 localidades e, em 1992, eram 16.950.
O ambiente socioeconômico do setor de telecomunicações. In: O desempenho
do setor de telecomunicações no Brasil. Séries temporais 1S15.
Elaborado pela Telebrasil em parceria com o Teleco. Rio de Janeiro,
agosto de 2015, p. 7-9. Internet: <www.telebrasil.org.br > (com adaptações).
Com relação às estruturas linguísticas do texto O ambiente socioeconômico do setor de telecomunicações, julgue os seguintes itens.
Desde que fossem feitas as necessárias adaptações redacionais, o conteúdo veiculado no texto em apreço poderia compor o corpo de um relatório referente ao crescimento socioeconômico do setor de telecomunicações no Brasil, desde a privatização do setor.
C
Certo
E
Errado
Texto Associado Texto Associado
1 Desde 1990, no Brasil, tem havido uma melhora
sistemática do coeficiente de Gini, índice comumente utilizado
para medir a desigualdade de distribuição de renda: melhorou
4 dos 0,603 de 1993 para os 0,501 de 2013.
Tendo por base os valores de 1998, ano da
privatização dos serviços de telecomunicações do Brasil, o PIB
7 per capita do brasileiro aumentou apenas 35,0% no período
findo em 2014, ao passo que, no mesmo período, a densidade
de telefones fixos aumentou 84,5% e a de telefones celulares
10 aumentou 3.114%.
A penetração dos serviços de telefonia — fixa ou
móvel — só não foi maior devido ao irrisório crescimento da
13 renda per capita no período, agravado pela carga tributária
incidente sobre serviços de telecomunicações, essenciais para
o desenvolvimento sustentável com inclusão social.
16 No cenário mundial, o Brasil passou do 54.º lugar, em
2002, para o 65.º lugar, em 2013, segundo o índice de
desenvolvimento de tecnologias de informação e comunicação
19 (TIC), da União Internacional de Telecomunicações, indicando
que o país está defasado no aproveitamento dos benefícios que
as TIC propiciam para o desenvolvimento sustentável com
22 inclusão social e com inserção no mundo globalizado.
Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de
Domicílios (PNAD) 2013, 92,5% dos domicílios tinham acesso
25 aos serviços telefônicos — fixos ou móveis. Em 1998, apenas
32% dos domicílios tinham acesso a esses serviços, o que
indica um volumoso aumento no período mencionado.
28 No final do primeiro semestre de 2015, 41.310
localidades eram servidas pela telefonia fixa, em função da
realização das metas do Plano Geral de Metas de
31 Universalização; no final do primeiro semestre do ano
anterior, eram 40.907 localidades e, em 1992, eram 16.950.
O ambiente socioeconômico do setor de telecomunicações. In: O desempenho
do setor de telecomunicações no Brasil. Séries temporais 1S15.
Elaborado pela Telebrasil em parceria com o Teleco. Rio de Janeiro,
agosto de 2015, p. 7-9. Internet: <www.telebrasil.org.br > (com adaptações).
Com relação às estruturas linguísticas do texto O ambiente socioeconômico do setor de telecomunicações, julgue os seguintes itens.
Na linha 13, a flexão do termo “agravado” na forma feminina faria que esse termo passasse a concordar com “renda per capita”, sem que isso resultasse em prejuízo para a correção gramatical e para os sentidos do texto.
C
Certo
E
Errado
Texto Associado Texto Associado
1 Desde 1990, no Brasil, tem havido uma melhora
sistemática do coeficiente de Gini, índice comumente utilizado
para medir a desigualdade de distribuição de renda: melhorou
4 dos 0,603 de 1993 para os 0,501 de 2013.
Tendo por base os valores de 1998, ano da
privatização dos serviços de telecomunicações do Brasil, o PIB
7 per capita do brasileiro aumentou apenas 35,0% no período
findo em 2014, ao passo que, no mesmo período, a densidade
de telefones fixos aumentou 84,5% e a de telefones celulares
10 aumentou 3.114%.
A penetração dos serviços de telefonia — fixa ou
móvel — só não foi maior devido ao irrisório crescimento da
13 renda per capita no período, agravado pela carga tributária
incidente sobre serviços de telecomunicações, essenciais para
o desenvolvimento sustentável com inclusão social.
16 No cenário mundial, o Brasil passou do 54.º lugar, em
2002, para o 65.º lugar, em 2013, segundo o índice de
desenvolvimento de tecnologias de informação e comunicação
19 (TIC), da União Internacional de Telecomunicações, indicando
que o país está defasado no aproveitamento dos benefícios que
as TIC propiciam para o desenvolvimento sustentável com
22 inclusão social e com inserção no mundo globalizado.
Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de
Domicílios (PNAD) 2013, 92,5% dos domicílios tinham acesso
25 aos serviços telefônicos — fixos ou móveis. Em 1998, apenas
32% dos domicílios tinham acesso a esses serviços, o que
indica um volumoso aumento no período mencionado.
28 No final do primeiro semestre de 2015, 41.310
localidades eram servidas pela telefonia fixa, em função da
realização das metas do Plano Geral de Metas de
31 Universalização; no final do primeiro semestre do ano
anterior, eram 40.907 localidades e, em 1992, eram 16.950.
O ambiente socioeconômico do setor de telecomunicações. In: O desempenho
do setor de telecomunicações no Brasil. Séries temporais 1S15.
Elaborado pela Telebrasil em parceria com o Teleco. Rio de Janeiro,
agosto de 2015, p. 7-9. Internet: <www.telebrasil.org.br > (com adaptações).
De acordo com as ideias do texto O ambiente socioeconômico do setor de telecomunicações, julgue os itens subsequentes.
Houve significativa melhoria do desempenho socioeconômico do setor de telecomunicações, se comparados 1998, ano da privatização desses serviços, e 2015, ano corrente, cujo primeiro semestre é objeto de análise no texto.
C
Certo
E
Errado
Texto Associado Texto Associado
1 Desde 1990, no Brasil, tem havido uma melhora
sistemática do coeficiente de Gini, índice comumente utilizado
para medir a desigualdade de distribuição de renda: melhorou
4 dos 0,603 de 1993 para os 0,501 de 2013.
Tendo por base os valores de 1998, ano da
privatização dos serviços de telecomunicações do Brasil, o PIB
7 per capita do brasileiro aumentou apenas 35,0% no período
findo em 2014, ao passo que, no mesmo período, a densidade
de telefones fixos aumentou 84,5% e a de telefones celulares
10 aumentou 3.114%.
A penetração dos serviços de telefonia — fixa ou
móvel — só não foi maior devido ao irrisório crescimento da
13 renda per capita no período, agravado pela carga tributária
incidente sobre serviços de telecomunicações, essenciais para
o desenvolvimento sustentável com inclusão social.
16 No cenário mundial, o Brasil passou do 54.º lugar, em
2002, para o 65.º lugar, em 2013, segundo o índice de
desenvolvimento de tecnologias de informação e comunicação
19 (TIC), da União Internacional de Telecomunicações, indicando
que o país está defasado no aproveitamento dos benefícios que
as TIC propiciam para o desenvolvimento sustentável com
22 inclusão social e com inserção no mundo globalizado.
Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de
Domicílios (PNAD) 2013, 92,5% dos domicílios tinham acesso
25 aos serviços telefônicos — fixos ou móveis. Em 1998, apenas
32% dos domicílios tinham acesso a esses serviços, o que
indica um volumoso aumento no período mencionado.
28 No final do primeiro semestre de 2015, 41.310
localidades eram servidas pela telefonia fixa, em função da
realização das metas do Plano Geral de Metas de
31 Universalização; no final do primeiro semestre do ano
anterior, eram 40.907 localidades e, em 1992, eram 16.950.
O ambiente socioeconômico do setor de telecomunicações. In: O desempenho
do setor de telecomunicações no Brasil. Séries temporais 1S15.
Elaborado pela Telebrasil em parceria com o Teleco. Rio de Janeiro,
agosto de 2015, p. 7-9. Internet: <www.telebrasil.org.br > (com adaptações).
De acordo com as ideias do texto O ambiente socioeconômico do setor de telecomunicações, julgue os itens subsequentes.
A evolução do PIB per capita mostra que, de 1998 a 2014, o poder aquisitivo médio do brasileiro aumentou na mesma proporção que a densidade de telefones fixos e celulares nos domicílios do país.
C
Certo
E
Errado
Texto Associado Texto Associado
1 Desde 1990, no Brasil, tem havido uma melhora
sistemática do coeficiente de Gini, índice comumente utilizado
para medir a desigualdade de distribuição de renda: melhorou
4 dos 0,603 de 1993 para os 0,501 de 2013.
Tendo por base os valores de 1998, ano da
privatização dos serviços de telecomunicações do Brasil, o PIB
7 per capita do brasileiro aumentou apenas 35,0% no período
findo em 2014, ao passo que, no mesmo período, a densidade
de telefones fixos aumentou 84,5% e a de telefones celulares
10 aumentou 3.114%.
A penetração dos serviços de telefonia — fixa ou
móvel — só não foi maior devido ao irrisório crescimento da
13 renda per capita no período, agravado pela carga tributária
incidente sobre serviços de telecomunicações, essenciais para
o desenvolvimento sustentável com inclusão social.
16 No cenário mundial, o Brasil passou do 54.º lugar, em
2002, para o 65.º lugar, em 2013, segundo o índice de
desenvolvimento de tecnologias de informação e comunicação
19 (TIC), da União Internacional de Telecomunicações, indicando
que o país está defasado no aproveitamento dos benefícios que
as TIC propiciam para o desenvolvimento sustentável com
22 inclusão social e com inserção no mundo globalizado.
Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de
Domicílios (PNAD) 2013, 92,5% dos domicílios tinham acesso
25 aos serviços telefônicos — fixos ou móveis. Em 1998, apenas
32% dos domicílios tinham acesso a esses serviços, o que
indica um volumoso aumento no período mencionado.
28 No final do primeiro semestre de 2015, 41.310
localidades eram servidas pela telefonia fixa, em função da
realização das metas do Plano Geral de Metas de
31 Universalização; no final do primeiro semestre do ano
anterior, eram 40.907 localidades e, em 1992, eram 16.950.
O ambiente socioeconômico do setor de telecomunicações. In: O desempenho
do setor de telecomunicações no Brasil. Séries temporais 1S15.
Elaborado pela Telebrasil em parceria com o Teleco. Rio de Janeiro,
agosto de 2015, p. 7-9. Internet: <www.telebrasil.org.br > (com adaptações).
De acordo com as ideias do texto O ambiente socioeconômico do setor de telecomunicações, julgue os itens subsequentes.
Conforme os dados da PNAD mencionados no texto, houve enorme aumento de acesso, por domicílio, aos serviços telefônicos fixos ou móveis, no período compreendido entre 1998 e 2013.
C
Certo
E
Errado
Texto Associado Texto Associado
1 Desde 1990, no Brasil, tem havido uma melhora
sistemática do coeficiente de Gini, índice comumente utilizado
para medir a desigualdade de distribuição de renda: melhorou
4 dos 0,603 de 1993 para os 0,501 de 2013.
Tendo por base os valores de 1998, ano da
privatização dos serviços de telecomunicações do Brasil, o PIB
7 per capita do brasileiro aumentou apenas 35,0% no período
findo em 2014, ao passo que, no mesmo período, a densidade
de telefones fixos aumentou 84,5% e a de telefones celulares
10 aumentou 3.114%.
A penetração dos serviços de telefonia — fixa ou
móvel — só não foi maior devido ao irrisório crescimento da
13 renda per capita no período, agravado pela carga tributária
incidente sobre serviços de telecomunicações, essenciais para
o desenvolvimento sustentável com inclusão social.
16 No cenário mundial, o Brasil passou do 54.º lugar, em
2002, para o 65.º lugar, em 2013, segundo o índice de
desenvolvimento de tecnologias de informação e comunicação
19 (TIC), da União Internacional de Telecomunicações, indicando
que o país está defasado no aproveitamento dos benefícios que
as TIC propiciam para o desenvolvimento sustentável com
22 inclusão social e com inserção no mundo globalizado.
Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de
Domicílios (PNAD) 2013, 92,5% dos domicílios tinham acesso
25 aos serviços telefônicos — fixos ou móveis. Em 1998, apenas
32% dos domicílios tinham acesso a esses serviços, o que
indica um volumoso aumento no período mencionado.
28 No final do primeiro semestre de 2015, 41.310
localidades eram servidas pela telefonia fixa, em função da
realização das metas do Plano Geral de Metas de
31 Universalização; no final do primeiro semestre do ano
anterior, eram 40.907 localidades e, em 1992, eram 16.950.
O ambiente socioeconômico do setor de telecomunicações. In: O desempenho
do setor de telecomunicações no Brasil. Séries temporais 1S15.
Elaborado pela Telebrasil em parceria com o Teleco. Rio de Janeiro,
agosto de 2015, p. 7-9. Internet: <www.telebrasil.org.br > (com adaptações).
De acordo com as ideias do texto O ambiente socioeconômico do setor de telecomunicações, julgue os itens subsequentes.
Do texto se deduz que o fato de, em 2013, o Brasil passar a ocupar a 65ª posição no ranque internacional de desenvolvimento de TIC indica que, embora o setor de telecomunicações do país tenha tido significativo desempenho, este tem de melhorar em comparação aos índices de desenvolvimento sustentável com inclusão social e com inserção no mundo globalizado dos países ricos e desenvolvidos.
C
Certo
E
Errado
Texto Associado Texto Associado
1 A reestruturação do setor de telecomunicações no
Brasil veio acompanhada da privatização do Sistema
TELEBRAS — operado pela Telecomunicações Brasileiras
4 S.A. (TELEBRAS) —, monopólio estatal verticalmente
integrado e organizado em diversas subsidiárias, que prestava
serviços por meio de uma rede de telecomunicações
7 interligada, em todo o território nacional.
A ideia básica do novo modelo era a de adequar o
setor de telecomunicações ao novo contexto de globalização
10 econômica, de evolução tecnológica setorial, de novas
exigências de diversificação e modernização das redes e dos
serviços, além de permitir a universalização da prestação de
13 serviços básicos, tendo em vista a elevada demanda reprimida
no país.
A privatização, ao contrário do que ocorreu em
16 diversos países em desenvolvimento e mesmo em outros
setores de infraestrutura do Brasil, foi precedida da montagem
de detalhado modelo institucional, dentro do qual se destaca a
19 criação de uma agência reguladora independente e autônoma,
a Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL). Além
disso, a reestruturação do setor de telecomunicações brasileiro
22 foi precedida de reformas setoriais em vários outros países, o
que trouxe a possibilidade de aprendizado com as experiências
anteriores.
José Claudio Linhares Pires. A reestruturação do setor de telecomunicações
no Brasil. Internet: <www.bndespar.com.br> (com adaptações).
No que se refere às estruturas linguísticas e às ideias do texto A reestruturação do setor de telecomunicações no Brasil, julgue os itens seguintes.
A substituição de “autônoma” (R.19) por com autonomia prejudicaria a correção gramatical do texto.
C
Certo
E
Errado
Texto Associado Texto Associado
1 A reestruturação do setor de telecomunicações no
Brasil veio acompanhada da privatização do Sistema
TELEBRAS — operado pela Telecomunicações Brasileiras
4 S.A. (TELEBRAS) —, monopólio estatal verticalmente
integrado e organizado em diversas subsidiárias, que prestava
serviços por meio de uma rede de telecomunicações
7 interligada, em todo o território nacional.
A ideia básica do novo modelo era a de adequar o
setor de telecomunicações ao novo contexto de globalização
10 econômica, de evolução tecnológica setorial, de novas
exigências de diversificação e modernização das redes e dos
serviços, além de permitir a universalização da prestação de
13 serviços básicos, tendo em vista a elevada demanda reprimida
no país.
A privatização, ao contrário do que ocorreu em
16 diversos países em desenvolvimento e mesmo em outros
setores de infraestrutura do Brasil, foi precedida da montagem
de detalhado modelo institucional, dentro do qual se destaca a
19 criação de uma agência reguladora independente e autônoma,
a Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL). Além
disso, a reestruturação do setor de telecomunicações brasileiro
22 foi precedida de reformas setoriais em vários outros países, o
que trouxe a possibilidade de aprendizado com as experiências
anteriores.
José Claudio Linhares Pires. A reestruturação do setor de telecomunicações
no Brasil. Internet: <www.bndespar.com.br> (com adaptações).
No que se refere às estruturas linguísticas e às ideias do texto A reestruturação do setor de telecomunicações no Brasil, julgue os itens seguintes.
No segundo parágrafo do texto, há relação de encadeamento entre “adequar” (R.8) e “permitir” (R.12), formas que se relacionam com a expressão “A ideia básica do novo modelo” (R.8).
C
Certo
E
Errado
Texto Associado Texto Associado
1 A reestruturação do setor de telecomunicações no
Brasil veio acompanhada da privatização do Sistema
TELEBRAS — operado pela Telecomunicações Brasileiras
4 S.A. (TELEBRAS) —, monopólio estatal verticalmente
integrado e organizado em diversas subsidiárias, que prestava
serviços por meio de uma rede de telecomunicações
7 interligada, em todo o território nacional.
A ideia básica do novo modelo era a de adequar o
setor de telecomunicações ao novo contexto de globalização
10 econômica, de evolução tecnológica setorial, de novas
exigências de diversificação e modernização das redes e dos
serviços, além de permitir a universalização da prestação de
13 serviços básicos, tendo em vista a elevada demanda reprimida
no país.
A privatização, ao contrário do que ocorreu em
16 diversos países em desenvolvimento e mesmo em outros
setores de infraestrutura do Brasil, foi precedida da montagem
de detalhado modelo institucional, dentro do qual se destaca a
19 criação de uma agência reguladora independente e autônoma,
a Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL). Além
disso, a reestruturação do setor de telecomunicações brasileiro
22 foi precedida de reformas setoriais em vários outros países, o
que trouxe a possibilidade de aprendizado com as experiências
anteriores.
José Claudio Linhares Pires. A reestruturação do setor de telecomunicações
no Brasil. Internet: <www.bndespar.com.br> (com adaptações).
No que se refere às estruturas linguísticas e às ideias do texto A reestruturação do setor de telecomunicações no Brasil, julgue os itens seguintes.
A correção gramatical e os sentidos originais do texto seriam preservados se, no primeiro parágrafo, todas as vírgulas fossem eliminadas e a forma verbal “prestava” (R.5) fosse substituída por prestavam.
C
Certo
E
Errado
Página 1 de 2