Questões

Total de Questões Encontradas: 20

Um analista de suporte de uma empresa foi incumbido de decidir pela instalação de um equipamento de rede, que poderia ser um hub (baseado em repetidor) ou um switch de nível 2.

Ele decidiu, então, pela instalação do switch de nível 2, baseado no argumento de que esse switch é capaz de 
A
segmentar domínios de difusão, enquanto que o hub é capaz de segmentar apenas domínios de colisão. 
B
segmentar domínios de colisão, enquanto que o hub é capaz de segmentar apenas domínios de difusão. 
C
permitir a criação de VLANs, ao contrário do hub, que não tem essa capacidade. 
D
realizar o roteamento entre diferentes sub-redes, ao contrário do hub, que não tem essa capacidade. 
E
implementar mecanismos de segurança, como os de criptografia dos dados da aplicação, ao contrário do hub, que não tem essa capacidade.
Switches de nível 2 utilizam o Spanning Tree Protocol (STP) para contornar os problemas relacionados
A
à falta de segurança no acesso à rede 
B
à baixa velocidade do mecanismo de aprendizado das pontes 
C
à correção de erros no nível de enlace 
D
ao número alto de colisões na rede 
E
aos ciclos presentes na topologia da rede
Em algumas políticas de segurança, sistemas de filtragem podem ser utilizados para impedir que conexões TCP sejam solicitadas de fora da rede para dentro, permitindo apenas que as máquinas de dentro da rede solicitem conexões para o exterior.

Para isso, durante a fase de estabelecimento de conexão, a filtragem deve permitir a 
A
entrada na rede apenas de segmentos TCP com as flags SYN e ACK sinalizadas 
B
entrada na rede apenas de segmentos TCP com a flag SYN sinalizada e a ACK não sinalizada 
C
entrada na rede apenas de segmentos TCP com a flag ACK sinalizada e a flag SYN não sinalizada 
D
entrada na rede apenas de segmentos TCP sem qual- quer das duas flags sinalizadas 
E
saída da rede apenas de segmentos TCP sem qual- quer das flags sinalizadas
Protocolos de roteamento são responsáveis pela troca de informações que permitem manter as tabelas de rotas em roteadores e outros dispositivos. O tipo de informação trocado pelos protocolos de roteamento depende do tipo de algoritmo sobre o qual a decisão de roteamento está baseada. Nesse sentido, os tipos mais comuns de protocolos de roteamento recaem em duas classes:
  • os baseados em vetor de distância (distance vector)
  • os baseados em estado de enlace (link state)
Qual protocolo é baseado em vetor de distâncias? 
A
OSPF 
B
IS-IS 
C
RIP 
D
NLSP 
E
DEC DNA Phase V
Aplicações como VoIP são consideradas parte de uma classe maior de aplicações em que se podem estabelecer sessões entre dois ou mais usuários para trocar vários fluxos de informação multimídia (voz, vídeo, etc.). O IETF (Internet Engineering Task Force) elaborou um protocolo para permitir a criação e o gerenciamento dessas seções. Esse protocolo permite efetuar toda a sinalização necessária para estabelecer, por exemplo, as codificações utilizadas pelas diferentes mídias e a localização dos usuários pertencentes a uma sessão.

Esse protocolo é o 
A
SIP 
B
RTP 
C
RTCP 
D
RSVP 
E
MGCP
As tecnologias Frame Relay, ATM e MPLS têm em comum a utilização de 
A
quadros de tamanho fixo 
B
quadros de tamanho variável 
C
comutação por rótulos 
D
comutação de circuitos 
E
comutação de mensagens
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
Considere que a rede de uma determinada empresa é composta pela topologia exibida na Figura acima.

Nela, encontram-se duas pontes (P1 e P2) que seguem o padrão IEEE 802.1D e que permitem a interligação de quatro redes locais (LAN1 a LAN4). Cada uma das redes locais tem duas estações, cujos endereços, por simplificação, estão representados por letras maiúsculas (A, B, C, ... H). Em um determinado instante, o monitoramento da rede permitiu observar que as tabelas de encaminhamento das pontes tinham a seguinte configuração: 
Imagem da Questão
Nesse instante, um quadro é transmitido da estação A para a estação B, fazendo com que, passados alguns instantes, a ponte 
A
P1 aprendesse o endereço de B e enviasse o quadro pela LAN2. 
B
P2 aprendesse o endereço de B e enviasse o quadro pela LAN3 e pela LAN4. 
C
P1 aprendesse o endereço de B e não enviasse esse quadro a qualquer outra LAN. 
D
P2 aprendesse o endereço de A e enviasse o quadro pela LAN3 e pela LAN4. 
E
P2 aprendesse o endereço de A e enviasse o quadro pela LAN2, pela LAN3 e pela LAN4.
O ATM (Asynchronous Transfer Mode) é uma tecnologia capaz de encaminhar quadros 
A
do nível 2 de tamanho variável, denominados frames, utilizando um serviço com conexão mas sem confiabilidade. 
B
do nível 2 de tamanho fixo, denominados células, utilizando um serviço com conexão mas sem confiabilidade.
C
do nível 2 de tamanho fixo, denominados células, utilizando um serviço sem conexão com confiabilidade. 
D
do nível 2 de tamanho variável, denominados datagramas, utilizando um serviço sem conexão e sem confiabilidade. 
E
de tamanho variável, denominados frames, utilizando um serviço sem conexão mas com confiabilidade. 
Algumas aplicações são mais bem servidas por protocolos de transporte orientados a conexão, enquanto outras obtêm benefícios quando o protocolo de transporte é não orientado a conexão. Dessa forma, a arquitetura da Internet prevê que o nível de transporte de sua arquitetura ofereça as duas opções por intermédio dos dois protocolos previstos (o TCP e o UDP), deixando a cargo do protocolo de aplicação a especificação do serviço (e, consequentemente, o protocolo) a ser utilizado.

Sobre a transmissão de voz em um serviço de VoIP com comunicação interativa, pode-se dizer que o serviço de transporte adequado é o serviço 
A
orientado a conexão (circuito virtual) fornecido pelo TCP, pois a comunicação por voz exige clareza e não pode estar sujeita aos ruídos inerentes da comutação de pacotes sem um tratamento adequado. 
B
orientado a conexão (circuito virtual) fornecido pelo UDP, pois a ordenação das informações deve ser mantida, e as perdas de pacotes minimizadas pelo uso de conexões seguras de forma que a transmissão de voz possa ser realizada da forma adequada e com custos mais baixos. 
C
não orientado a conexão (datagrama) fornecido pelo UDP, já que, em serviços de voz com interatividade, os controles de erro e de fluxo exercidos por protocolos como o TCP aumentam a carga de processamento e retardam a entrega toda vez que alguns pacotes são perdidos ou mesmo atrasados pela rede, tendo um impacto negativo na interatividade do serviço. 
D
não orientado a conexão (datagrama) fornecido pelo TCP, já que os segmentos de dados devem ser controlados para que os ruídos presentes em aplicações de voz sejam eliminados, o que só pode ser realizado caso as conexões do UDP não sejam utilizadas. 
E
que depende do tipo de protocolo da camada inter-rede utilizado, tendendo para o serviço não orientado a conexão (datagrama) do UDP, no caso de IPv6, e orientado a conexão (circuito virtual), fornecido pelo TCP, no caso de IPv4. 
Para que conexões à internet sejam estabelecidas por uma infraestrutura pública compartilhada, usando tecnologias de criptografia e autenticação para proteger os dados ao longo de sua transferência, deve-se usar uma 
A
VLAN 
B
VTP 
C
NTP 
D
VPN 
E
LAN Emulation
Página 1 de 2