Questões

Total de Questões Encontradas: 213

Texto Associado Texto Associado
1 Apesar de motivar uma revolução econômica sem
precedentes na história mundial, a instalação das primeiras
máquinas a vapor nas fábricas inglesas no início do século XIX
4 gerou polêmica. Revoltados contra a mecanização, que
diminuiria empregos e pioraria as condições de trabalho,
movimentos organizados de trabalhadores ingleses calcularam
7 que o melhor a fazer era destruir as máquinas das indústrias.
Mais de um século depois, analistas de uma empresa
de consultoria inglesa relacionaram a expansão tecnológica
10 com a criação de postos de trabalho. Dessa relação, concluíram
que, na realidade, o desenvolvimento de recursos para
dinamizar a produção não só melhorou a qualidade de vida dos
13 trabalhadores e expandiu a economia, como também criou mais
ofertas de emprego.
A partir de dados coletados com base em censos do
16 Reino Unido, os pesquisadores verificaram diminuição de
empregos que envolviam grande esforço, como trabalho em
minas de carvão e agricultura, e crescimento nas profissões
19 ligadas a serviços e conhecimento, como magistério e
medicina.
“Historicamente, a tecnologia destrói empregos em um
22 momento para reconstruí-los em uma segunda etapa, mas esse
não é um processo rápido nem simpático”, afirma um dos
pesquisadores.
Tecnologia gera emprego. Revista Galileu, out./2015 (com adaptações).
Acerca das ideias e das estruturas linguísticas do texto Tecnologia gera emprego, julgue os itens subsequentes.
A correção gramatical e o sentido do texto seriam mantidos caso, no início do segundo parágrafo, fosse inserida uma vírgula imediatamente após “coletados” (R.15) e suprimida a utilizada logo após “Reino Unido” (R.16).
C
Certo
E
Errado
Texto Associado Texto Associado
1 Apesar de motivar uma revolução econômica sem
precedentes na história mundial, a instalação das primeiras
máquinas a vapor nas fábricas inglesas no início do século XIX
4 gerou polêmica. Revoltados contra a mecanização, que
diminuiria empregos e pioraria as condições de trabalho,
movimentos organizados de trabalhadores ingleses calcularam
7 que o melhor a fazer era destruir as máquinas das indústrias.
Mais de um século depois, analistas de uma empresa
de consultoria inglesa relacionaram a expansão tecnológica
10 com a criação de postos de trabalho. Dessa relação, concluíram
que, na realidade, o desenvolvimento de recursos para
dinamizar a produção não só melhorou a qualidade de vida dos
13 trabalhadores e expandiu a economia, como também criou mais
ofertas de emprego.
A partir de dados coletados com base em censos do
16 Reino Unido, os pesquisadores verificaram diminuição de
empregos que envolviam grande esforço, como trabalho em
minas de carvão e agricultura, e crescimento nas profissões
19 ligadas a serviços e conhecimento, como magistério e
medicina.
“Historicamente, a tecnologia destrói empregos em um
22 momento para reconstruí-los em uma segunda etapa, mas esse
não é um processo rápido nem simpático”, afirma um dos
pesquisadores.
Tecnologia gera emprego. Revista Galileu, out./2015 (com adaptações).
Acerca das ideias e das estruturas linguísticas do texto Tecnologia gera emprego, julgue os itens subsequentes.
Seriam mantidas a correção gramatical e as relações de sentido do texto caso a forma verbal “diminuiria” (R.5) fosse substituída por poderia diminuir.
C
Certo
E
Errado
Texto Associado Texto Associado
1 Apesar de motivar uma revolução econômica sem
precedentes na história mundial, a instalação das primeiras
máquinas a vapor nas fábricas inglesas no início do século XIX
4 gerou polêmica. Revoltados contra a mecanização, que
diminuiria empregos e pioraria as condições de trabalho,
movimentos organizados de trabalhadores ingleses calcularam
7 que o melhor a fazer era destruir as máquinas das indústrias.
Mais de um século depois, analistas de uma empresa
de consultoria inglesa relacionaram a expansão tecnológica
10 com a criação de postos de trabalho. Dessa relação, concluíram
que, na realidade, o desenvolvimento de recursos para
dinamizar a produção não só melhorou a qualidade de vida dos
13 trabalhadores e expandiu a economia, como também criou mais
ofertas de emprego.
A partir de dados coletados com base em censos do
16 Reino Unido, os pesquisadores verificaram diminuição de
empregos que envolviam grande esforço, como trabalho em
minas de carvão e agricultura, e crescimento nas profissões
19 ligadas a serviços e conhecimento, como magistério e
medicina.
“Historicamente, a tecnologia destrói empregos em um
22 momento para reconstruí-los em uma segunda etapa, mas esse
não é um processo rápido nem simpático”, afirma um dos
pesquisadores.
Tecnologia gera emprego. Revista Galileu, out./2015 (com adaptações).
Acerca das ideias e das estruturas linguísticas do texto Tecnologia gera emprego, julgue os itens subsequentes.
O sentido original do texto seria mantido caso o primeiro período fosse reescrito da seguinte forma: Polêmicas, as primeiras máquinas a vapor instaladas nas indústrias inglesas no início do século XIX foram responsáveis por uma revolução econômica inédita no mundo.
C
Certo
E
Errado
Ano: 2015 Banca: CESPE Órgão: TJDFT Prova: Técnico Judiciário - Programação de Sistemas
Texto Associado Texto Associado
1 Os juízes que se deparam com o tema dos conflitos
familiares e da violência doméstica assistem a situações de
violência extrema, marcadas pelo abuso das relações de afeto
4 e parentesco, pela deslealdade nas relações íntimas de afeto e
confiança. A violência doméstica exclui e segrega os
integrantes da família, pois as vítimas são muitas vezes
7 consideradas responsáveis pelas agressões que sofrem. É a
mulher agredida quem “gosta de apanhar”, é a criança
espancada quem “provoca” os pais. Obviamente os membros
10 da família ficam apavorados diante da possibilidade da
agressão e da exclusão e temem pela própria vida quando
dependem da família para sobreviver emocional ou
13 materialmente. Assim, todos são atingidos pela agressão a um
deles dirigida.
Importa destacar que a violência intrafamiliar pode se
16 dar tanto de forma omissiva, pela ausência de cuidados
necessários ao desenvolvimento do indivíduo, de alimentação
regular e abrigo, quanto comissiva, pela prática de atos que
19 violam a liberdade e a integridade física e psíquica da vítima,
agressões físicas ou verbais. Esses atos são capazes de gerar
sentimento de insegurança nos membros da família. No âmbito
22 doméstico, as agressões decorrem da vontade de dominar e
subjugar o mais fraco, da luta por poder dentro de casa. A
maior parte dos ataques tem motivos banais, como o
25 espancamento de mulheres que se recusam a preparar o almoço
ou a esquentar a comida dos companheiros, ou, como no caso
das crianças, o choro excessivo.
28 O processo judicial restaura a verdade dos fatos.
O agressor é sentado no banco dos réus e é tratado como tal. A
vítima tem o direito de expor a dor, o sofrimento e exigir a
31 reparação devida. Muitas vezes não se persegue o
encarceramento do agressor, mas apenas a responsabilização
pelos atos, de natureza cível ou criminal. O juiz observa as
34 partes com os olhos da lei, da equidade, da justiça. A justiça
analisa tais casos dia após dia, noite após noite, e os diversos
agentes envolvidos no amparo e proteção às vítimas
37 desenvolvem sensibilidade especial para o tema. E, movidos
pela empatia com os mais fracos nas relações sociais e
familiares, buscam ajudar a restabelecer a linguagem de
40 respeito entre os membros da comunidade familiar,
propiciando o resgate dos sentimentos que a mantêm coesa e
saudável.
Theresa Karina de Figueiredo Gaudêncio Barbosa. Paz em
casa. In: Correio Braziliense, 26/2/2015 (com adaptações).
Cada um dos itens a seguir, que apresenta uma proposta de reescrita de trecho do texto — entre aspas —, deve ser julgado certo se, ao mesmo tempo, a proposta estiver gramaticalmente correta e não acarretar prejuízo ao sentido original do texto, ou errado, em caso contrário.
“Obviamente os membros da família (...) da agressão” (R. 9 a 11): Os integrantes da família apavoram-se, de fato, perante à possibilidade da agressão.
C
Certo
E
Errado
Ano: 2015 Banca: CESPE Órgão: TJDFT Prova: Técnico Judiciário - Programação de Sistemas
Texto Associado Texto Associado
1 Os juízes que se deparam com o tema dos conflitos
familiares e da violência doméstica assistem a situações de
violência extrema, marcadas pelo abuso das relações de afeto
4 e parentesco, pela deslealdade nas relações íntimas de afeto e
confiança. A violência doméstica exclui e segrega os
integrantes da família, pois as vítimas são muitas vezes
7 consideradas responsáveis pelas agressões que sofrem. É a
mulher agredida quem “gosta de apanhar”, é a criança
espancada quem “provoca” os pais. Obviamente os membros
10 da família ficam apavorados diante da possibilidade da
agressão e da exclusão e temem pela própria vida quando
dependem da família para sobreviver emocional ou
13 materialmente. Assim, todos são atingidos pela agressão a um
deles dirigida.
Importa destacar que a violência intrafamiliar pode se
16 dar tanto de forma omissiva, pela ausência de cuidados
necessários ao desenvolvimento do indivíduo, de alimentação
regular e abrigo, quanto comissiva, pela prática de atos que
19 violam a liberdade e a integridade física e psíquica da vítima,
agressões físicas ou verbais. Esses atos são capazes de gerar
sentimento de insegurança nos membros da família. No âmbito
22 doméstico, as agressões decorrem da vontade de dominar e
subjugar o mais fraco, da luta por poder dentro de casa. A
maior parte dos ataques tem motivos banais, como o
25 espancamento de mulheres que se recusam a preparar o almoço
ou a esquentar a comida dos companheiros, ou, como no caso
das crianças, o choro excessivo.
28 O processo judicial restaura a verdade dos fatos.
O agressor é sentado no banco dos réus e é tratado como tal. A
vítima tem o direito de expor a dor, o sofrimento e exigir a
31 reparação devida. Muitas vezes não se persegue o
encarceramento do agressor, mas apenas a responsabilização
pelos atos, de natureza cível ou criminal. O juiz observa as
34 partes com os olhos da lei, da equidade, da justiça. A justiça
analisa tais casos dia após dia, noite após noite, e os diversos
agentes envolvidos no amparo e proteção às vítimas
37 desenvolvem sensibilidade especial para o tema. E, movidos
pela empatia com os mais fracos nas relações sociais e
familiares, buscam ajudar a restabelecer a linguagem de
40 respeito entre os membros da comunidade familiar,
propiciando o resgate dos sentimentos que a mantêm coesa e
saudável.
Theresa Karina de Figueiredo Gaudêncio Barbosa. Paz em
casa. In: Correio Braziliense, 26/2/2015 (com adaptações).
Cada um dos itens a seguir, que apresenta uma proposta de reescrita de trecho do texto — entre aspas —, deve ser julgado certo se, ao mesmo tempo, a proposta estiver gramaticalmente correta e não acarretar prejuízo ao sentido original do texto, ou errado, em caso contrário.
“O agressor (...) como tal” (R.29): O agressor senta-se no banco dos réus e como réu ele é considerado.
C
Certo
E
Errado
Ano: 2015 Banca: CESPE Órgão: TJDFT Prova: Técnico Judiciário - Programação de Sistemas
Texto Associado Texto Associado
1 Os juízes que se deparam com o tema dos conflitos
familiares e da violência doméstica assistem a situações de
violência extrema, marcadas pelo abuso das relações de afeto
4 e parentesco, pela deslealdade nas relações íntimas de afeto e
confiança. A violência doméstica exclui e segrega os
integrantes da família, pois as vítimas são muitas vezes
7 consideradas responsáveis pelas agressões que sofrem. É a
mulher agredida quem “gosta de apanhar”, é a criança
espancada quem “provoca” os pais. Obviamente os membros
10 da família ficam apavorados diante da possibilidade da
agressão e da exclusão e temem pela própria vida quando
dependem da família para sobreviver emocional ou
13 materialmente. Assim, todos são atingidos pela agressão a um
deles dirigida.
Importa destacar que a violência intrafamiliar pode se
16 dar tanto de forma omissiva, pela ausência de cuidados
necessários ao desenvolvimento do indivíduo, de alimentação
regular e abrigo, quanto comissiva, pela prática de atos que
19 violam a liberdade e a integridade física e psíquica da vítima,
agressões físicas ou verbais. Esses atos são capazes de gerar
sentimento de insegurança nos membros da família. No âmbito
22 doméstico, as agressões decorrem da vontade de dominar e
subjugar o mais fraco, da luta por poder dentro de casa. A
maior parte dos ataques tem motivos banais, como o
25 espancamento de mulheres que se recusam a preparar o almoço
ou a esquentar a comida dos companheiros, ou, como no caso
das crianças, o choro excessivo.
28 O processo judicial restaura a verdade dos fatos.
O agressor é sentado no banco dos réus e é tratado como tal. A
vítima tem o direito de expor a dor, o sofrimento e exigir a
31 reparação devida. Muitas vezes não se persegue o
encarceramento do agressor, mas apenas a responsabilização
pelos atos, de natureza cível ou criminal. O juiz observa as
34 partes com os olhos da lei, da equidade, da justiça. A justiça
analisa tais casos dia após dia, noite após noite, e os diversos
agentes envolvidos no amparo e proteção às vítimas
37 desenvolvem sensibilidade especial para o tema. E, movidos
pela empatia com os mais fracos nas relações sociais e
familiares, buscam ajudar a restabelecer a linguagem de
40 respeito entre os membros da comunidade familiar,
propiciando o resgate dos sentimentos que a mantêm coesa e
saudável.
Theresa Karina de Figueiredo Gaudêncio Barbosa. Paz em
casa. In: Correio Braziliense, 26/2/2015 (com adaptações).
Cada um dos itens a seguir, que apresenta uma proposta de reescrita de trecho do texto — entre aspas —, deve ser julgado certo se, ao mesmo tempo, a proposta estiver gramaticalmente correta e não acarretar prejuízo ao sentido original do texto, ou errado, em caso contrário.
“Esses atos (...) membros da família” (R. 20 e 21): É capaz desses atos gerarem sentimento de insegurança nos membros da família.
C
Certo
E
Errado
Ano: 2015 Banca: CESPE Órgão: TJDFT Prova: Analista Judiciário - Suporte em TI
Texto Associado Texto Associado
1 O objetivo do direito é a paz. A luta é o meio de
consegui-la. Enquanto o direito tiver de repelir o ataque
causado pela injustiça — e isso durará enquanto o mundo
4 estiver de pé —, ele não será poupado.
A vida do direito é a luta: a luta de povos, de
governos, de classes, de indivíduos. Todo o direito do mundo
7 foi assim conquistado. Todo ordenamento jurídico que se lhe
contrapôs teve de ser eliminado e todo direito, o direito de um
povo ou o de um indivíduo, teve de ser conquistado com luta.
10 O direito não é mero pensamento, mas sim força viva.
Por isso, a justiça segura, em uma das mãos, a balança, com a
qual pesa o direito, e, na outra, a espada, com a qual o defende.
13 A espada sem a balança é a força bruta, a balança sem a espada
é a fraqueza do direito. Ambas se completam e o verdadeiro
estado de direito só existe onde a força, com a qual a justiça
16 empunha a espada, é usada com a mesma destreza com que a
justiça maneja a balança.
O direito é um labor contínuo, não apenas dos
19 governantes, mas de todo o povo. Cada um que se encontra na
situação de precisar defender seu direito participa desse
trabalho, levando sua contribuição para a concretização da
22 ideia de direito sobre a Terra.
Rudolf von Ihering. A luta pelo direito. Tradução de J. Cretella Jr.
e Agnes Cretella. 5.ª ed. revista da tradução. São Paulo:
Editora Revista dos Tribunais, 2008, p. 31 (com adaptações).
Com referência às ideias apresentadas no texto precedente e a seus aspectos linguísticos, julgue os itens a seguir.
A correção gramatical e o sentido original do texto seriam preservados caso a oração “que se lhe contrapôs” (R. 7 e 8) fosse reescrita como que foi contraposto a ele.
C
Certo
E
Errado
Ano: 2015 Banca: CESPE Órgão: TJDFT Prova: Analista Judiciário - Suporte em TI
Texto Associado Texto Associado
1 O objetivo do direito é a paz. A luta é o meio de
consegui-la. Enquanto o direito tiver de repelir o ataque
causado pela injustiça — e isso durará enquanto o mundo
4 estiver de pé —, ele não será poupado.
A vida do direito é a luta: a luta de povos, de
governos, de classes, de indivíduos. Todo o direito do mundo
7 foi assim conquistado. Todo ordenamento jurídico que se lhe
contrapôs teve de ser eliminado e todo direito, o direito de um
povo ou o de um indivíduo, teve de ser conquistado com luta.
10 O direito não é mero pensamento, mas sim força viva.
Por isso, a justiça segura, em uma das mãos, a balança, com a
qual pesa o direito, e, na outra, a espada, com a qual o defende.
13 A espada sem a balança é a força bruta, a balança sem a espada
é a fraqueza do direito. Ambas se completam e o verdadeiro
estado de direito só existe onde a força, com a qual a justiça
16 empunha a espada, é usada com a mesma destreza com que a
justiça maneja a balança.
O direito é um labor contínuo, não apenas dos
19 governantes, mas de todo o povo. Cada um que se encontra na
situação de precisar defender seu direito participa desse
trabalho, levando sua contribuição para a concretização da
22 ideia de direito sobre a Terra.
Rudolf von Ihering. A luta pelo direito. Tradução de J. Cretella Jr.
e Agnes Cretella. 5.ª ed. revista da tradução. São Paulo:
Editora Revista dos Tribunais, 2008, p. 31 (com adaptações).
Com referência às ideias apresentadas no texto precedente e a seus aspectos linguísticos, julgue os itens a seguir.
O uso combinado de “não é mero” como “mas sim”, no primeiro período do terceiro parágrafo do texto, tem o papel de mostrar que o direito, além de ser pensamento, é também uma força viva.
C
Certo
E
Errado
Ano: 2015 Banca: CESPE Órgão: TJDFT Prova: Analista Judiciário - Análise de Sistemas
Texto Associado Texto Associado
1 O objetivo do direito é a paz. A luta é o meio de
consegui-la. Enquanto o direito tiver de repelir o ataque
causado pela injustiça — e isso durará enquanto o mundo
4 estiver de pé —, ele não será poupado.
A vida do direito é a luta: a luta de povos, de
governos, de classes, de indivíduos. Todo o direito do mundo
7 foi assim conquistado. Todo ordenamento jurídico que se lhe
contrapôs teve de ser eliminado e todo direito, o direito de um
povo ou o de um indivíduo, teve de ser conquistado com luta.
10 O direito não é mero pensamento, mas sim força viva.
Por isso, a justiça segura, em uma das mãos, a balança, com a
qual pesa o direito, e, na outra, a espada, com a qual o defende.
13 A espada sem a balança é a força bruta, a balança sem a espada
é a fraqueza do direito. Ambas se completam e o verdadeiro
estado de direito só existe onde a força, com a qual a justiça
16 empunha a espada, é usada com a mesma destreza com que a
justiça maneja a balança.
O direito é um labor contínuo, não apenas dos
19 governantes, mas de todo o povo. Cada um que se encontra na
situação de precisar defender seu direito participa desse
trabalho, levando sua contribuição para a concretização da
22 ideia de direito sobre a Terra.
Rudolf von Ihering. A luta pelo direito. Tradução de J. Cretella Jr.
e Agnes Cretella. 5.ª ed. revista da tradução. São Paulo:
Editora Revista dos Tribunais, 2008, p. 31 (com adaptações).
Com referência às ideias apresentadas no texto precedente e a seus aspectos linguísticos, julgue os itens a seguir.
A correção gramatical e o sentido original do texto seriam preservados caso a oração “que se lhe contrapôs” (R. 7 e 8) fosse reescrita como que foi contraposto a ele.
C
Certo
E
Errado
Ano: 2015 Banca: CESPE Órgão: TJDFT Prova: Analista Judiciário - Análise de Sistemas
Texto Associado Texto Associado
1 O objetivo do direito é a paz. A luta é o meio de
consegui-la. Enquanto o direito tiver de repelir o ataque
causado pela injustiça — e isso durará enquanto o mundo
4 estiver de pé —, ele não será poupado.
A vida do direito é a luta: a luta de povos, de
governos, de classes, de indivíduos. Todo o direito do mundo
7 foi assim conquistado. Todo ordenamento jurídico que se lhe
contrapôs teve de ser eliminado e todo direito, o direito de um
povo ou o de um indivíduo, teve de ser conquistado com luta.
10 O direito não é mero pensamento, mas sim força viva.
Por isso, a justiça segura, em uma das mãos, a balança, com a
qual pesa o direito, e, na outra, a espada, com a qual o defende.
13 A espada sem a balança é a força bruta, a balança sem a espada
é a fraqueza do direito. Ambas se completam e o verdadeiro
estado de direito só existe onde a força, com a qual a justiça
16 empunha a espada, é usada com a mesma destreza com que a
justiça maneja a balança.
O direito é um labor contínuo, não apenas dos
19 governantes, mas de todo o povo. Cada um que se encontra na
situação de precisar defender seu direito participa desse
trabalho, levando sua contribuição para a concretização da
22 ideia de direito sobre a Terra.
Rudolf von Ihering. A luta pelo direito. Tradução de J. Cretella Jr.
e Agnes Cretella. 5.ª ed. revista da tradução. São Paulo:
Editora Revista dos Tribunais, 2008, p. 31 (com adaptações).
Com referência às ideias apresentadas no texto precedente e a seus aspectos linguísticos, julgue os itens a seguir.
O uso combinado de “não é mero” como “mas sim”, no primeiro período do terceiro parágrafo do texto, tem o papel de mostrar que o direito, além de ser pensamento, é também uma força viva.
C
Certo
E
Errado
Página 9 de 22