Questões

Total de Questões Encontradas: 70

Ano: 2013 Banca: FCC Órgão: MPE-CE Prova: Analista Ministerial - Ciências da Computação
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
Transpondo-se para a voz ativa a construção eram tratadas como príncipes e princesas, a forma verbal resul- tante deverá ser:
A
tratavam-nas.
B
tratavam-se.
C
teriam sido tratadas. 
D
foram tratadas.
E
tinham-nas tratado.
Ano: 2013 Banca: FCC Órgão: MPE-CE Prova: Analista Ministerial - Ciências da Computação
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
Atente para as seguintes frases:

I. Fiquei velho.
II. Supunha haver vantagens na velhice.
III. Não desfruto de vantagens em minha velhice.

As frases acima articulam-se com correção e coerência neste período único:
A
Mesmo que supusesse haver vantagens, não as desfrutei quando fiquei velho. 
B
Embora supusesse haver vantagens, minha velhice não me fez desfrutá-las.
C
Ao ficar velho, supus que houvessem vantagens na velhice, mas não teve nenhuma. 
D
As vantagens que supus para minha velhice não desfrutei quando à ela cheguei.
E
Tendo ficado velho, não desfruto das vantagens que supunha haver na velhice.
Ano: 2013 Banca: FCC Órgão: MPE-CE Prova: Analista Ministerial - Ciências da Computação
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
Deve-se deduzir das informações apresentadas no texto que

  I. houve época em que se condicionavam, com certa naturalidade, os prazeres da vida sexual à contração do matrimônio.  
 II. os moços, à época da juventude do autor, entregavam-se já a tarefas que em nada os aliviava das responsabilidades dos adultos.  
III. a velhice, ao contrário das outras fases da vida, não nos traz decepções, já que nos conformamos em dela nada esperar.

Está correto o que se formula SOMENTE em
A
II e III.
B
I e II.
C
III.
D
II.
E
I.
Ano: 2013 Banca: FCC Órgão: MPE-CE Prova: Analista Ministerial - Ciências da Computação
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
A ideia principal do texto está resumida de modo adequado na seguinte formulação: O autor acredita que 
A
muita gente, tal como ele, fica esperando os prazeres da fase seguinte da vida, deixando, com isso, de gozar os benefícios da que está vivendo. 
B
as vantagens da vida, no seu caso, foram desfrutadas em épocas distintas das que normalmente as pessoas passam a desfrutar.
C
os proveitos da vida não se lhe ofereceram, pois jamais houve concomitância entre a vantagem de uma fase e a fase que estivesse atravessando.
D
muita gente, ele inclusive, deixa de aproveitar o que há de melhor em cada fase da vida por ignorar as vantagens que cada uma oferece. 
E
os dissabores da vida fazem-nos esquecer ou subestimar o que há de vantajoso em cada fase, tal como sempre aconteceu com ele.
Ano: 2013 Banca: FCC Órgão: MPE-CE Prova: Analista Ministerial - Ciências da Computação
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
A supressão da vírgula altera o sentido da frase em:

  I. Observei bem os movimentos daquele cego, enquanto ele caminhava com desenvoltura pela rua movimentada.  
 II. Que prazer encontrava o cego de Ipanema, percorrendo com as mãos as partes do belo automóvel!  
III. Sempre nos impressionaremos com os cegos, que caminham com tanta segurança pela cidade.

Atende ao enunciado SOMENTE o que está em
A
II e III. 
B
I e II.
C
III.
D
II.
E
I.
Ano: 2013 Banca: FCC Órgão: MPE-CE Prova: Analista Ministerial - Ciências da Computação
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
Está plenamente adequada a correlação entre tempos e modos verbais na frase:
A
O cego tocava elementos do carro como quem aprecie uma bela paisagem, uma bela mulher, como quem esteja sucumbindo diante de uma beleza inexcedível.
B
Todos nós saberíamos andar com mais segurança pela movimentada cidade caso desenvolvamos um senso de percepção espacial tão apurado como o dos cegos.
C
As ruas da cidade virão a ser familiares para aqueles que, mesmo não as enxergando, souberem esquematizá-las mentalmente, como quem elabora uma íntima cartografia.
D
O cego não poderia caminhar com tanta desenvoltura caso a cidade não seja inteiramente esquematizada na cabeça, para só então tê-la explorado sem qualquer hesitação.
E
Enquanto o rapaz limpava o cadillac, o cego de Ipanema, com gestos seguros e delicados, percorrera as formas do veículo como se o reconhecendo naquele exato momento. 
Ano: 2013 Banca: FCC Órgão: MPE-CE Prova: Analista Ministerial - Ciências da Computação
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
Os verbos indicados entre parênteses deverão flexionar-se no PLURAL para preencherem de modo correto as lacunas da frase:
A
Ao esfuziante cadillac qualquer um de nós ...... (render) todas as homenagens, crianças que éramos, extasiadas diante dos encantos que ...... (reunir) para nós aquela máquina fantástica.
B
É preciso que não se ...... (atribuir) a um cego deficiências que ele de fato não tem, em virtude da otimização dos outros sentidos, que nele se ...... (desenvolver) de modo excepcional.
C
Os obstáculos que normalmente ...... (oferecer) aos transeuntes uma rua atribulada ...... (enfrentar)-os um cego com toda a galhardia.
D
Não ...... (dizer) respeito às pessoas que têm vista perfeita a avaliação de normas de segurança cuja proposição ...... (caber), sobretudo, aos cegos ou aos especialistas.
E
No texto, ...... (suplantar) os limites de um deficiente visual a cegueira de quem não se ...... (valer) dos olhos  para distinguir melhor as coisas. 
Ano: 2013 Banca: FCC Órgão: MPE-CE Prova: Analista Ministerial - Ciências da Computação
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
Está clara e correta a redação deste livre comentário sobre o texto:
A
O que admirou o autor, na cena quando o cego reconhece as formas do carro, é que dava a impressão de que ele podia ver muito bem as paisagens magníficas que normalmente lhe negam.
B
Expressões como vasto diagrama e mundo geométrico devem de ser atribuídas ao cego em virtude dele caminhar com segurança em espaços cujo domínio ele se assegura.
C
O vocabulário usual da geometria, no primeiro parágrafo, aplica-se ao modo preciso e calculado pelo qual um homem cego se orienta no espaço por onde caminha.
D
A cabeça erguida e a bengala batendo compassada no chão indiciam que o cego caminha sem hesitar aonde ele sabe que as formas se interpretam tão bem como se fossem visíveis. 
E
Parece-nos advertir o autor do texto que as pessoas que enxergam são por vezes tomadas por aflições em cujas os cegos não se deixam assaltar, por seus trejeitos seguros.
Ano: 2013 Banca: FCC Órgão: MPE-CE Prova: Analista Ministerial - Ciências da Computação
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
Atente para as seguintes afirmações:

I. A assertiva Sua sobrevivência é um cálculo (1o parágrafo), referida ao homem cego, justifica-se pelas expressões que imediatamente a antecedem, entre elas improvisação constante.

II. No 1o parágrafo, o autor do texto estabelece uma relação entre as capacidades desenvolvidas pelos homens cegos e a autossuficiência com que parecem explorar os caminhos da vida.

III. Testemunhando um momento particular de mansidão e ternura (2o parágrafo), o autor equipara um prazer possível ao cego e o desfrute visual de formas naturais.

Em relação ao texto, está correto o que se afirma SOMENTE em
A
II e III.
B
I e II.
C
III.
D
II.
E
I.
Ano: 2013 Banca: FCC Órgão: MPE-CE Prova: Analista Ministerial - Ciências da Computação
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
O primeiro e o segundo parágrafos destacam, respectivamente, as seguintes características do “cego de Ipanema”:
A
a segurança com que improvisa um novo trajeto e a sensação de júbilo que sente ao contato com formas que desconhece.
B
a extrema cautela na avaliação do espaço e a capacidade de precisar as peças de um carro que ele apalpa.
C
a natural insegurança de quem caminha pela cidade e a imaginação com que vai avaliando as formas de um carro.
D
o apurado senso de orientação no espaço delineado e a capacidade de se deleitar com a  sensação tátil das formas.
E
o ritmo titubeante das passadas e a capacidade de reconhecer com as mãos as formas de um automóvel.
Página 7 de 7