Questões

Total de Questões Encontradas: 60

Ano: 2010 Banca: ESAF Órgão: CVM Prova: Analista - Infraestrutura de TI
A implementação de um circuito em um enlace ocorre por multiplexação
A
por divisão de intensidade (IDM) ou por divisão de conexões (CDM).
B
por multiplicação de frequência (FMM) ou por multiplicação de tempo (TMM).
C
por divisão de frames (DFM) ou por divisão de categorias (CDM).
D
por divisão de fluxos (DDM) ou por divisão de métricas (MDM).
E
por divisão de frequência (FDM) ou por divisão de tempo (TDM).
Ano: 2010 Banca: ESAF Órgão: CVM Prova: Analista - Infraestrutura de TI
Assinale a opção correta.
A
Tempo de runover é o tempo total que um processador gasta para instalar um programa aplicativo.
B
No nivelamento preemptivo, quando um processo está em execução, nenhum evento externo pode ocasionar a perda do uso do processador.
C
No escalonamento não-preemptivo, quando um processo está em execução, nenhum evento externo pode ocasionar a perda do uso do processador.
D
Tempo de makearound é o tempo total que um processador gasta desde sua criação até seu término.
E
No escalonamento não-preventivo, quando um usuário executa um programa, nenhuma entidade externa pode ocasionar a perda do desempenho do programador.
Ano: 2010 Banca: ESAF Órgão: CVM Prova: Analista - Infraestrutura de TI
Assinale a opção correta.
A
O controlador de E/S possui memória e registradores próprios utilizados na execução de instruções enviadas pelo device driver.
B
O registrador de DMA é um programa que pode fazer parte do registrador e ser um dispositivo independente.
C
O controlador de E/S possui device driver próprio utilizado na execução de instruções enviadas pela memória e pelos registradores.
D
O acionador de DPMA é um dispositivo de hardware que não pode fazer parte da execução.
E
O controlador de DBA é um dispositivo de software que pode fazer parte do controlador ou ser um dispositivo dependente.
Ano: 2010 Banca: ESAF Órgão: CVM Prova: Analista - Infraestrutura de TI
Assinale a opção correta.
A
A conversão da representação física das instruções para código lógico é feita pelo Gerador.
B
O compilador é responsável por gerar um programa em linguagem de máquina não executável, a partir de um programa escrito em uma linguagem de alto nível.
C
A conversão da representação simbólica das instruções para código criptografado é feita pelo Registrador.
D
O compilador é responsável por gerar um programa em linguagem de alto nível não executável, a partir de um programa escrito em uma linguagem de máquina executável.
E
O cointerpretador é responsável por gerar um programa em linguagem de máquina não interpretável, a partir de um programa escrito em uma linguagem de usuário.
Ano: 2010 Banca: ESAF Órgão: CVM Prova: Analista - Infraestrutura de TI
Assinale a opção correta.
A
A técnica Pipelining permite ao processador executar múltiplas instruções paralelamente em estágios diferentes.
B
São componentes de uma Arquitetura Pipelining: Unidade de Entrada de Instrução, Organizador de Instruções, Unidade de Saída de Instrução, Unidade Provedora de Acesso.
C
A técnica Pipelengthing permite ao processador executar múltiplas instruções paralelamente em diferentes dimensões.
D
São estágios de uma Arquitetura Pipetunning: Unidade de Busca da Informação, Analisador da Instrução, Unidade de Busca de Casos, Unidade de Execução da Instrução.
E
São estágios de uma Memória Pipelining: Unidade Principal, Unidade Secundária, Unidade de Busca dos Dados, Unidade Virtual. 
Ano: 2010 Banca: ESAF Órgão: CVM Prova: Analista - Infraestrutura de TI
Assinale a opção correta.
A
Thrashing é a excessiva transferência de páginas/segmentos entre a memória principal e a memória secundária.
B
Upload consiste em integrar o programa segundo seus módulos, utilizando uma mesma área de memória principal e secundária.
C
Overlap consiste em dividir o programa em unidades gráficas, de forma que seja possível a execução independente de cada módulo, utilizando uma mesma área de memória secundária.
D
Turning é a excessiva transferência de layouts entre a memória principal e a memória secundária.
E
Updating é a excessiva transferência de páginas/segmentos entre a memória secundária e a memória virtual.
Ano: 2010 Banca: ESAF Órgão: CVM Prova: Analista - Infraestrutura de TI
Assinale a opção correta.
A
O barramento é um meio de programação compartilhada que permite a programação com unidades funcionais de um sistema monousuário.
B
O ponto-a-ponto é um meio de comunicação compartilhada que permite a verificação das saídas e entradas funcionais de um sistema aplicativo.
C
São tipos de barramentos: processador-memória, de E/S, de backplane.
D
São topologias de barrramentos: processador-máquina, de E/S, de batch.
E
São tipos de barramentos: homem-máquina, de E/S, de backup.
Ano: 2010 Banca: ESAF Órgão: CVM Prova: Analista - Infraestrutura de TI
Assinale a opção correta.
A
Os registradores são softwares com a função principal de registrar dados permanentes.
B
A sincronização de todas as funções do processador é realizada através de um sinal de clock.
C
A sincronização de todas as funções do processador e dos periféricos é realizada através de um sinal de syncronize.
D
A sincronização de todas as funções do processador é realizada através de comandos do usuário.
E
Os espaçadores são dispositivos com a função principal de armazenar comandos temporariamente.
Ano: 2010 Banca: ESAF Órgão: CVM Prova: Analista - Infraestrutura de TI
Assinale a opção correta.
A
Um computador possui, aproximadamente, 250 microinstruções básicas, que são executadas por sensores eletrônicos.
B
Os microprogramas de armazenamento defi nem a linguagem fonte de um computador CISC.
C
Os microcircuitos defi nem a linguagem de máquina de instruções CISC em um programa RISC.
D
Um computador depende de, aproximadamente, 25 memórias básicas, que são integradas por circuitos eletrônicos.
E
Os microprogramas definem a linguagem de máquina de um computador CISC.
Ano: 2010 Banca: ESAF Órgão: CVM Prova: Analista - Infraestrutura de TI
São tipos de sistemas multiprogramáveis / multitarefa:
A
Sistemas Batch. Sistemas de Tempo Virtual. Sistemas de Tempo Real.
B
Sistemas onbatch. Sistemas de Tempo Compartilhado. Sistemas de Interface Real.
C
Sistemas on-line. Sistemas de Texto Compartilhado. Sistemas de Tempo Real.
D
Sistemas Batch. Sistemas de Tempo Compartilhado. Sistemas de Tempo Real.
E
Sistemas Batch. Sistemas onepackage. Sistemas multipackage.
Página 6 de 6