Questões

Total de Questões Encontradas: 60

Considere a instrução abaixo, digitada em um banco de dados Oracle 11g que possui a tabela Produtos, aberta e em condições ideais, contendo os campos NomeProduto − varchar2(50), PrecoUnitario − number(5,2), UnidadesEmEstoque − integer, UnidadesNoPedido − integer: 

SELECT NomeProduto, PrecoUnitario*(UnidadesEmEstoque+  I (UnidadesNoPedido,0)) FROM Produtos;

Para retornar 0 se o valor de UnidadesNoPedido for nulo, a lacuna I deverá ser corretamente preenchida com
A
IIF
B
IFNULL
C
NVL
D
COALESCE
E
ISNULL
Um Analista está desenvolvendo um Modelo Entidade-Relacionamento do banco de dados de um tribunal sob uma perspectiva lógica e parte do modelo é formado pelas duas entidades abaixo, relacionadas com cardinalidade n:m. 

A entidade Processo contém os atributos:
− NuM_Seq (número sequencial do processo por unidade de origem) − valor inteiro − (PK).
− Dig (dígito verificador) − valor inteiro − (PK).
− Ano (ano do ajuizamento) − valor inteiro − (PK).
− Org (órgão ou segmento do Poder Judiciário, sendo 5 o correspondente à Justiça do Trabalho) − valor inteiro.
− Tribunal (tribunal do segmento do Poder Judiciário, sendo 23 para o TRT da 23a Região) − valor inteiro (FK).
− Origem (unidade de origem do processo, sendo 4 zeros para o TRT) − valor inteiro.

A entidade Advogado contém os atributos:
− Num_OAB (número da OAB) − cadeia de caracteres − primary key.
− Nome (nome do advogado) − cadeia de caracteres.
− Telefone (telefone residencial e comercial) − cadeia de caracteres.

Considerando que Advogado acompanha Processo,
A
o atributo Num_OAB precisa aparecer também na entidade Processo, como chave estrangeira, para garantir a integridade referencial entre os dados.
B
o relacionamento não pode ser n:m, pois em cada Processo não se pode referenciar mais do que um Advogado para cada uma das partes, logo, trata-se de um relacionamento 1:n.
C
o atributo Tribunal não pode ser chave estrangeira na entidade Processo, pois dos Tribunais não há necessidade de se cadastrar nada além do número.
D
na implementação das tabelas, o relacionamento n:m deverá ser dividido em duas relações 1:n e uma nova tabela deverá ser criada para representar o relacionamento.
E
como a relação é n:m, os atributos chave primária da entidade Processo devem aparecer na entidade Advogado como chave estrangeira e vice-versa.
RSS permite compartilhar conteúdo entre websites utilizando documentos XML. Nestes documentos, o elemento utilizado para descrever o RSS é o
A
<channel>
B
<article>
C
<story>
D
<content>
E
<feed>
A modelagem funcional de um sistema pode ser realizada por meio de DFDs que
A
mostram a organização dos valores no interior dos objetos e a sequência em que ocorrem as interações entre os processos.
B
não mostram informações de controle, como o momento em que os processos são executados, ou decisões entre vias alternativas de dados.
C
apresentam os relacionamentos funcionais dos valores calculados por um sistema incluindo valores de entrada e saída, mas não inclui valores de depósitos de dados.
D
mostram as classes, atributos, operações e relacionamentos entre os processos e atores do sistema.
E
são compostos por processos, fluxo de dados, entidades externas, atributos e métodos.
A disponibilização de informações referentes a web services pode ser feita utilizando especificações que usam um modelo centralizado ou um modelo distribuído. A especificação que utiliza um modelo completamente distribuído, de forma que as descrições dos serviços possam ser armazenadas em qualquer localização, e os pedidos para se obter tais informações possam ser processados junto às entidades que prestam tais serviços, é conhecida como
A
Representational State Transfer − REST.
B
Web Services Description Language − WSDL.
C
Universal Description Discovery and Integration − UDDI.
D
Web Services Interoperability − WS-I.
E
Web Services Inspection Language − WSIL.
Em um site que utiliza JSF, um Analista está criando um pequeno formulário para entrada do nome do usuário e da senha de acesso a uma área restrita. O nome do usuário poderá ficar legível, porém, a senha não. Os elementos JSF que deverão ser utilizados para criar o campo nome do usuário e senha são, respectivamente,
A
<h:inputText/> e <h:inputSecret/>
B
<form:inputText/> e <form:inputPassword/>
C
<html:inputField/> e <html:inputHidden/>
D
<h:inputTextarea> e <h:inputPassword/>
E
<h:inputField> e <h:inputHidden/>
Um Analista editou o arquivo domain.xml, deixando um fragmento do código com a seguinte configuração:
<server-groups>
    <server-group name="grupo-apps" profile="ha">
    <jvm name="default">
       <heap size="1303m" max-size="1303m"/>
       <permgen max-size="256m"/>
    </jvm>
    <socket-binding-group ref="ha-sockets"/>
</server-group>
</server-groups>

Trata-se de configurações
A
do servidor Tomcat.
B
da JVM no Java EE.
C
do JavaServer Faces.
D
do servidor JBoss AS.
E
do Enterprise JavaBeans.
Considere uma página HTML5 que possui um elemento <div class="texto"> contendo em seu interior um texto grande, de, aproximadamente, uma página. Para colocar este texto em 3 colunas nos navegadores Chrome, Safari e Opera, utilizando CSS3, deve-se inserir, no bloco CSS incorporado, a instrução
A
.texto{-webkit-column-count:3}
B
.texto{-moz-column-count:3}
C
#texto{column-count:3}
D
.texto{column-width:3}
E
.texto{-column-count-width:3}
Considere o método de ordenação abaixo.
void ordena(int m,int x[]) {
     int aux,j,i;
     for(i=0;i<m-1;i++) {
        for(j=0;j<m-i-1;j++)
        if (x[j] > x[j+1]) {
          aux=x[j];
          x[j]=x[j+1];
          x[j+1]=aux;
       }
    }
}

Utilizando este algoritmo de ordenação, percorre-se a lista dada da esquerda para a direita, comparando pares de elementos
consecutivos, trocando de lugar os que estão fora da ordem. Em cada troca, o maior elemento é deslocado uma posição para a
direita. Trata-se de um algoritmo de ordenação
A
Select Sort.
B
Insert Sort.
C
Bubble Sort.
D
Shell Sort.
E
Quick Sort.
Considere o texto a seguir:
Em computadores baseados na arquitetura de Von Neumann, assim que a instrução que vai ser executada é buscada da memória principal para a CPU, o sistema efetiva automaticamente a modificação do conteúdo desse registrador de modo que ele passe a armazenar o endereço da próxima instrução na sequência, sendo crucial para o processo de controle e de sequenciamento da execução dos programas.

O texto se refere ao registrador conhecido como
A
Registrador de Dados de Memória − RDM.
B
Registrador de Decodificação de Instruções − RDI.
C
Contador de Instruções − CI.
D
Registrador de Endereçamento de Instruções − REI.
E
Registrador de Instruções − RI.
Página 4 de 6