Questões

Total de Questões Encontradas: 83

Ano: 2015 Banca: MP-RS Órgão: MP-RS Prova: Técnico em Informática - Apoio ao Usuário
Em relação a roteadores e protocolos de roteamento, assinale a alternativa correta.
A
A diferença entre as estratégias de roteamento dinâmico e estático é a presença da tabela de roteamento no dinâmico, inexistente no estático, pois suas rotas são definidas manualmente.
B
Na Internet, os roteadores têm a função de estabelecer e manter um circuito virtual entre redes origem e destino através de suas tabelas de roteamento.
C
Em uma tabela de roteamento, quando é possível atingir uma rede de destino usando mais de uma rota, é selecionada aquela que possui a máscara mais restritiva.
D
O conjunto de redes controladas por uma única autoridade administrativa, chamado de sistema autônomo, adota protocolos de roteamento interior (IRP Interior Routing Protocol ) como, por exemplo, o RIP e o BGP.
E
Os protocolos de roteamento podem ser classificados em classless , que não propagam as máscaras de rede, e em classfull , que propagam as máscaras de rede. 
Texto Associado Texto Associado
Acerca de protocolos de roteamento RIP (routing information protocol) v.1 e v.2, OSPF, julgue o item a seguir.
O OSPF (open shortest path first) é embasado em configuração de tabelas de roteamento que contenham as redes e suas distâncias (hops), priorizando sempre o menor caminho entre as redes, independentemente do serviço e do desempenho dos caminhos armazenados.
C
Certo
E
Errado
Ano: 2015 Banca: FGV Órgão: TJ-SC Prova: Analista Judiciário - Analista de Sistemas
Dois roteadores A e B, ligados através de uma comunicação serial, estão configurados para usar o protocolo RIP v1. O roteador A está conectado às redes 10.28.0.0/16 e 10.17.0.0/24. O roteador B está conectado às redes 10.85.0.0/16 e 10.23.60.0/24. Os roteadores conseguem dar ping entre si nas suas interfaces seriais. Porém, eles não conseguem aprender dinamicamente as rotas um do outro. A causa mais provável do problema é:
A
bloqueio na porta tcp/520 dos roteadores;
B
falta de suporte a VLSM (variable length subnet mask) pelo protocolo RIP v1;
C
tempo de convergência expirado;
D
falha na autenticação dos pacotes RIP v1 pelos roteadores;
E
ausência de "poison-reverse" na configuração dos roteadores. 
O RIP (routing information protocol) utiliza o algoritmo vetordistância, que informa as possíveis rotas dentro da rede e gera tabelas de roteamento. Nesse sentido, quando uma rota não é atualizada,
A
a distância é removida imediatamente das tabelas de roteamento. 
B
a distância é colocada como zero e o pacote é desviado para outro switch.
C
um broadcast é enviado para toda a rede até que a tabela se atualize. 
D
a rede sofre interrupção devido ao grande número de pacotes. 
E
a distância é colocada em infinito e a entrada será posteriormente removida das tabelas de roteamento.
O OSPF − Open Shortest Path First é um dos protocolos de roteamento, do tipo IGP − Interior Gateway Protocol, mais utilizados
em redes de grande dimensão. Se, comparado com o OSPF, o BGP
A
é baseado no estado do link e o OSPF, no vetor de distâncias.
B
é utilizado como IGP em redes locais pequenas e o OSPF, para redes grandes.
C
faz uso do protocolo de transporte e o OSPF não faz uso do protocolo de transporte.
D
é mais simples que o OSPF, sendo assim, menos eficiente como IGP.
E
opera dentro de uma única rede local e o OSPF opera sobre várias.
Um dos primeiros protocolos de roteamento criados é o RIP (Routing Information Protocol), que utiliza o algoritmo v etor distância e cujo valor é calculado pelo (a)
A
tempo total gasto no percurso do pacote pela rota.
B
distância total, em MACs, do enlace físico da rota traçada.
C
distância, em metros, do percurso do enlace físico da rota.
D
quantidade de servidores que o pacote deve passar até alcançar o destino.
E
número de saltos que o pacote deve realizar até alcançar o destino.
Existem, basicamente, dois conjuntos de protocolos de roteam ento, se for considerada a localidade onde eles são empre gados. Um exemplo de protocolo de roteamento utilizado entre sistemas, ou seja, entre ambientes de Gateways diferentes é o
A
RIP.
B
BGP.
C
IGRP.
D
OSPF.
E
EIGRP.
Atualmente existem diferentes protocolos de roteamento de datagramas, cada um com algoritmos de roteamento específicos, que são adequados para diferentes aplicações e configurações. É correto afirmar sobre os protocolos de roteamento que o protocolo
A
OSPF é destinado para o roteamento entre Sistemas Autônomos e utiliza o algoritmo Vetor Distância.
B
BGP é destinado para o roteamento entre Sistemas Autônomos e utiliza o algoritmo Estado do Enlace.
C
OSPF é destinado para o roteamento dentro de Sistemas Autônomos e utiliza o algoritmo Estado de Enlace.
D
BGP é destinado para o roteamento dentro de Sistemas Autônomos e utiliza o algoritmo Vetor Distância.
E
OSPF é destinado para o roteamento entre Sistemas Autônomos e utiliza o algoritmo Estado do Enlace.
Assinale a alternativa correta.
A
Dois peers BGP não precisam trocar mensagens KEEPALIVE, pois já estão sincronizados por serem peers.
B
O BGP não pode informar caminhos para sistemas autônomos aos quais ele não está diretamente conectado.
C
Uma das vantagens do BGP é que ele apenas informa dados de roteadores OSPF, sendo assim mais rápido e econômico.
D
O protocolo de gateway exterior não comunica ou interpreta métrica de distância de outros sistemas autônomos, mesmo se a métrica estiver disponível.
E
Nenhuma das afirmações anteriores está correta.
Ano: 2014 Banca: FUMARC Órgão: AL-MG Prova: Analista de Sistemas - Administrador de Redes
Em relação aos equipamentos de rede e protocolos de camada 2 e 3 para configuração de tais equipamentos, NÃO é correto o que se afirma em:
A
O domínio de broadcast em uma rede local pode ser reduzido, criando VLANS nos switches com suporte a essa tecnologia.
B
O algoritmo OSPF é classificado como um algoritmo de vetor de distância e é recomendado para interligação de Sistemas Autônomos.
C
Uma recomendação para aumentar a disponibilidade das redes locais é interligar os switches com loops, porém, os mesmos precisam ter suporte ao protocolo STP para evitar o problema conhecido como tempestade de broadcast.
D
O protocolo 802.1q, conhecido como Trunk, permite que os switches identifiquem a qual VLAN determinado pacote pertence antes de encaminhá-lo para outro switch.
Página 3 de 9