Questões

Total de Questões Encontradas: 15

Ano: 2013 Banca: FCC Órgão: MPE-MA Prova: Analista Judiciário - Conhecimentos Básicos
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
Considerando-se as normas de concordância verbal, há uma irregularidade na frase:
A
Não deveriam preocupar aos mais velhos, na opinião do autor do texto, a expectativa de que os muitos anos já vividos acarretam a decrepitude do espírito.
B
Falando dos sexagenários, assegura-nos o autor que seu espírito não envelhece, que podem mesmo senti-lo rejuvenescido sob mais de um aspecto.
C
Que os desequilíbrios do corpo ou a falta de agilidade não pareçam aos mais velhos o indício de um pleno envelhecimento, pois o espírito não acusa tais fraquezas.
D
Não sei o quanto surpreenderá aos jovens o fervor com que o autor se vale de argumentos para considerar que os anos de velhice efetivamente nunca chegam.
E
Ao contrário dos mais jovens, a quem surpreenderão as ideias do autor, agradará aos mais velhos aboná-las como inteiramente naturais. 
Ano: 2013 Banca: FCC Órgão: MPE-MA Prova: Analista Judiciário - Conhecimentos Básicos
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
Está clara e correta a redação deste livre comentário sobre o texto:
A
Os espelhos, do ponto de vista das pessoas velhas, não existem se não para mostrá-las os traços indesejáveis de seus rostos, já que o espírito lhes permanece jovem. 
B
Para o autor do texto, o espírito das pessoas não envelhece: com o correr dos anos, elas passam a se sentir mais e mais jovens.
C
É de se confessar que a velhice trás, de fato, alguns resquícios de enfraquecimento, haja visto os desequilíbrios corporais e sua cada vez menor elasticidade.
D
O autor chega ao displante de considerar a velhice uma mera ilusão da juventude; parece-lhe, até mesmo, que os sexagenários são mais adolescentes que os mesmos.
E
Há alguns velhinhos, de fato, em cujos trejeitos os fazem assemelhados a crianças, razão pela qual o autor considera a possibilidade de um contínuo remoçamento. 
Ano: 2013 Banca: FCC Órgão: MPE-MA Prova: Analista Judiciário - Conhecimentos Básicos
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
Considerando-se o contexto, traduz-se com correção e coerência o sentido do seguinte segmento:
A
Pois se ainda ontem eu era jovem (1o parágrafo) = mesmo que ontem eu fosse moço 
B
não têm como refletir nosso espírito (1o parágrafo) = não podem espiritualizar nossa imagem
C
até recuperar de vez (2o parágrafo) = afim de se reabilitar inteiramente
D
uma inveja incomensurável (2o parágrafo) = um anseio irretratável
E
desfrutamos do esplendor (4o parágrafo) = usufruímos a magnificência 
Ano: 2013 Banca: FCC Órgão: MPE-MA Prova: Analista Judiciário - Conhecimentos Básicos
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
Atente para as seguintes afirmações:

 I. Para o autor do texto, uma evidência de que a velhice não é ilusória está no fato de que os jovens fingem não temê-la e de que os velhos simulam não acreditar nela, sabendo ambos o quanto o tempo é implacável.

 II. No segundo parágrafo, o autor retrata-se do exagero que cometeu no parágrafo anterior, onde afirmou minha juventude não acabou, e no terceiro parágrafo confessará que não é pouco penoso ser um sexagenário.

 III. Ao longo do texto, o autor promove uma desvinculação entre o corpo e o espírito, de modo que um sexagenário possa sentir-se intimamente jovem.

Em relação ao texto, está correto SOMENTE o que se afirma em
A
I.
B
II.
C
III.
D
I e II.
E
II e III.
Ano: 2013 Banca: FCC Órgão: MPE-MA Prova: Analista Judiciário - Conhecimentos Básicos
Texto Associado Texto Associado
Imagem Associada da Questão
Mostrando-se convicto de seu próprio conceito de juventude, o autor do texto deseja demonstrar que a velhice
A
existe apenas quando tomamos consciência de sua chegada, o que costuma ocorrer com os primeiros sinais da decrepitude física.
B
somente atinge nosso espírito quando tomamos conhecimento dela pela implacável imagem de nós mesmos que os espelhos fornecem.
C
chega primeiro para aqueles que, quando jovens, não se preparam para enfrentar todos os limites e dissabores dos últimos anos da vida.
D
efetivamente nunca chega, pois o espírito é imune a ela e não acusa em si mesmo as carências e as restrições físicas que chegam com o tempo.
E
de fato inexiste para aquele que, mesmo se sentindo velho e acabado, consegue transmitir aos outros uma imagem de jovialidade.
Página 2 de 2