Ano: 2015 Banca: FCC Órgão: TRT - 4ª REGIÃO (RS) Prova: Analista Judiciário - Tecnologia da Informação
Os modelos COBIT 4.1 e CMMI 1.3 apresentam semelhanças e podem ser utilizados de forma concomitante em uma organização como o Tribunal Regional d o Trabalho. O modelo de maturidade do COBIT
A
possui níveis de maturidade, designados como perfis de processos de TI, que a organização reconheceria como descrição de possíveis situações atuais e futuras. Eles não são designados como um modelo em que não se pode avançar para o próximo nível sem antes ter cumprido todas as condições do nível inferior.
B
é baseado em um método de avaliar a organização, permitindo que ela seja pontuada de um nível de maturidade Ad-hoc (0) a Otimizado (4). Este enfoque é igual ao do modelo SEI-CMMI, para medir a maturidade da capacidade de desenvolvimento de software.
C
provê uma definição genérica para as escalas de maturidade, as quais são iguais às do CMMI, mas interpretadas de acordo com a natureza dos processos de gerenciamento de TI. Um modelo específico é fornecido derivando dessa escala genérica para cada um dos 38 processos COBIT.
D
assim como o do CMMI, provê escalas bastante granulares, que são mais fáceis de utilizar e sugerem uma desejável precisão, já que o propósito do modelo é identificar onde estão os problemas e como definir prioridades para os aprimoramentos.
E
da mesma forma que o enfoque original SEI-CMMI, tem a intenção de medir os níveis de maneira precisa, de forma a certificar que aquele nível foi exatamente atingido. A avaliação de maturidade do COBIT espera resultar em um perfil em que todas as condições para diversos níveis de maturidade sejam atingidas.